O Viajante e seus delírios

O Viajante e seus delírios

O Viajante e seus delírios

Bem, pode parecer óbvio para você que todas as pessoas carregam consigo algum sonho, mas você já parou pra pensar como o mundo seria se seus sonhos agissem como uma impressora que, ao invés de folhas, tingisse os sonhos das outras pessoas?
É, eu sei que agora parece um pouco difícil de entender, mas nós vamos te ajudar!

Em 1929, às vésperas do colapso da Bolsa de Valores de Nova York, Sigmund Freud escrevia um de seus maiores clássicos, intitulado “O mal-estar na civilização”, o livro fala sobre as origens da infelicidade, o choque entre o indivíduo e a sociedade e uma série de outras coisas.
Eis que, para Freud, a realidade é algo muito doloroso e para que possamos suportar essa dor, nossa mente gera mecanismos de defesa como a paixão pelo trabalho, o amor pelo próximo (ou pela imagem que temos do próximo), as crenças religiosas e muitas outras alternativas, entretanto a que mais nos interessa hoje é:
A inscrição de delírios na realidade.

Mas por quê? O que é isso?

Nossos anseios e angústias refletem nas nossas atitudes. Nossas atitudes, por sua vez, impactam outras pessoas, cidades, sociedades e culturas. Está começando a entender?

Todo o verdadeiro anseio (ou sonho, como preferir) que temos é externado no contato com outras pessoas (sua família, amigos, colegas de trabalho, etc.). Se seguirmos essa lógica, podemos facilmente concluir que quanto melhor e mais abrangente for nosso contato com o mundo exterior, mais impacto nossas ideias terão, certo? (considere por “mundo exterior” tudo aquilo que não está dentro de você, ou melhor, de sua mente)

Viajando e delirando?

Todo sonhador é um potencial viajante afinal, quando falamos em sonhos, a distância pouco importa, não é mesmo?
Pois bem, se para Freud a existência é uma experiência dolorosa e é função de uma mente saudável torná-la menos dolorosa, um potencial viajante como você tem a missão de inscrever seus delírios utópicos em outras cabecinhas por aí não é mesmo?
Ou, quem sabe, absorver alguns sonhos que você nunca imaginou sonhar!

E que tal fazer isso em outro país, rodeado por uma cultura completamente diferente da sua, absorvendo uma série de novos sonhos, recriando-os em sua mente, de seu jeito, e passando-os adiante para outras pessoas? É assim que o mundo muda, basta você querer mudá-lo.

Lindo, né?

Pois bem, pense nessa proposta:
Você entra com seus sonhos, delírios e anseios, que a World Study proporciona a experiência do intercâmbio.
Topa? Estamos esperando você!

Junte-se aos nossos assinantes.

Receba as notícias do nosso blog, quentinhas, direto do forno.




Posts mais vistos


  • Baixe o e-book

    Baixe o e-book